segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Os espalhos de parafina falsificada

Esqueci-me de contar, mas na quinta-feira, quando me dirigia à casa da minha colega que me iria levar a Lisboa, chovia imenso em Castelo Branco. Ora, eu, com todos os cuidados, lá ia andando, pela rua molhadinha. Acontece que, assim do nada, escorreguei e perna esquerda foi para a frente e perna direita dobrou e, tau!, bati com o joelho direito no chão.

Pai parafina falsificada fartou-se de rir, mas eu estava seriamente preocupada porque:

Ponto 1) Pensava que desta é que tinha partido a perna;
Ponto 2) Tinha mesmo que ir a Lisboa.

Depois de ver que tudo estava bem, também me fartei de rir. Aliás, acho que se fosse a andar como eu normalmente ando na rua (à pressa, that is) teria ido parar à estrada, o que de facto não seria muito agradável.

E pronto, fica comprovado que eu caio de 5 meses em 5 meses ou assim, e quando caio, são quedas muito bonitas.

parafina falsificada (o que acontece nos meses entre as quedas é que ameaça, ameaça que vou cair, mas na realidade nunca caio)

3 comentários:

eremita disse...

O último trambolhão que dei foi há um ano atrás, precisamente no Saldanha, quando me encontrei com uma menina toda gira.

óbvio que nunca deu em nada.

nando disse...

Nah, nah... nada disso.
Queremos fotos!!!
lol
:-)

(espero que o joelhinho já esteja recuperado)

parafina falsificada disse...

eremita: também olha que alguma coisa começar quando tu deste um trambolhão quando viste a rapariga... se calhar foi um sinal!

nando: felizmente, nunca há recordações fotográficas destas minhas quedas. Mas não foi nada de especial... quer dizer, a posição em que caí foi linda, mas pronto... O joelho já está bom, com uma alta nódoa negra, mas isso passa!