sexta-feira, 16 de novembro de 2007

What you don't know, can't hurt you?

Desde o primeiro dia que criei este blog que sempre quis que ele fosse um blog que as pessoas pudessem ler e que se pudessem rir. É por isso que hoje tenho que escrever este post, para que se entenda porque talvez eu não postarei ou então farei posts sem piada (bem, não sei se alguma vez tive piada, mas enfim...) durante algum tempo.

O meu gato, o Obi, 2 anos e 7 meses, não vem a casa há 9 dias. A última vez que cá veio, na terça-feira dia 6 de Novembro, segundo a minha mãe, ele tinha todo o aspecto de quem andava ás gatas. Mas bem, sejamos honestos... o máximo que ele esteve fora de casa foram 3 dias e é totalmente anormal ele fazer isto...

A semana passada, desde quarta-feira a domingo (quando estive cá em casa), supostamente devia ter estudado imenso para a minha frequência de Bioquímica. O problema é que nada cá entrava. Sou tão apegada àquele gato que começava a chorar mal visse uma foto dele, ou falasse dele, ou qualquer coisa. Tive realmente um fim-de-semana de merda.

O Obi é como uma pessoa. Só lhe falta falar mesmo. E apesar de toda a gente me dizer para eu manter a esperança, a verdade é que é a minha esperança já se está a desvanecer há muito tempo. Custa-me tanto pensar que nunca mais lhe vou fazer festas, que nunca mais ele me vai receber com aqueles "Miaus" brutais quando eu chegava a casa, que nunca mais o vou ver rebolar no chão do quintal, deliciado...

Não quero admitir que ele desapareceu. Porque aí estaria sem esperança.

Mas não sei o que é pior: saber se lhe aconteceu alguma coisa ou ficar sempre naquela, do será que ele vai voltar...

Realmente pareço uma Maria Madalena, a chorar por todo o lado, mas isto afectou-me bastante. Não só por tudo o que aconteceu em si, mas porque sinto que se lhe aconteceu alguma coisa foi por minha culpa também.

Mantenho a esperança. Espero que ele volte. Rezo todos os dias para isso. Mas se ele não voltar, se lhe aconteceu alguma coisa, só espero que ele esteja em paz. E que ele saiba o quanto nós aqui em casa o adoramos. E que temos tantas, mas tantas saudades...



parafina falsificada (nestas fotos acima, ele tinha uns 4 meses.)

2 comentários:

Rita disse...

oh nessa !!

ele vai aparecer, vais ver =)

*hugs*

Nadir Tejani disse...

Sei como é, tenho um bicho em casa (Portugal, entenda-se) e estou cheio de saudades dele. Não sei como vai ser quando ele for, mas não quero pensar nisso. Gosto demasiado dele.

Mantém a esperança, you never know. Entretanto estou de dedos cruzados para que ele te apareça. Pensamento positivo :)